O nosso site funciona plenamente sem JavaScript mas fica muito mais bonito se o ativar.

Aqui é um bom lugar

Ana Pessoa · Joana Estrela

Um caderno que é um diário. Um diário que é um lugar. Um lugar onde se juntam os textos de Ana Pessoa e as ilustrações de Joana Estrela. Uma espécie de diário gráfico, escrito e desenhado a quatro mãos, onde encontramos as observações e os pensamentos de Teresa Tristeza sobre a família, os amigos e a escola, os livros, os sonhos e os pássaros, as frases ouvidas em casa e na rua, a liberdade e o futuro, a noite e o vento. E também os desenhos muito espontâneos de gatos, vasos, pessoas, estendais ou vistas da janela que com ela se cruzam todos os dias. 

- Vencedor do Prémio Literário Maria Rosa Colaço 2018, modalidade Literatura Juvenil, Câmara Municipal de Almada
- Aconselhado pelo Plano Nacional de Leitura 


---

O humor, uma fina ironia, alguns deliciosos elementos intertextuais percorrem muitas das páginas deste diário que os desenhos de Joana Estrela tão bem complementam.
Hipopómatos na Lua, Junho 2019


O texto de Ana Pessoa revela uma atenção muito particular ao mundo, uma atenção que, sempre alicerçada no espanto e na curiosidade, é capaz de surpreender gente de qualquer idade e derrubar muros. (…) Como em tudo o que Ana escreve, há aqui camadas para ir desbravando ao longo do caminho: cita-se, entre outros, Pessoa e Almada, citam-se frases feitas da Internet, cita-se a série “Mad Men”, citam-se provérbios repetidos por uma avó, ao mesmo tempo que se experimentam os primeiros cigarros e as primeiras paixões.
Inês Fonseca Santos, texto de apresentação da obra, Galeria Monumental, Abril 2019


A meio caminho entre um uma espécie de original diário íntimo ilustrado e uma novela gráfica (ou romance híbrido, como prefiro chamar), este livro mostra como Ana Pessoa não desiste de inovar na ficção juvenil portuguesa, abrindo caminhos em géneros com pouca tradição entre nós.
Ana Margarida Ramos, Goodreads, 2019


Verosímil e forte, a narrativa envolve o leitor que, com facilidade, se identificará não apenas com as vivências partilhadas em casa e na escola, mas também com a linguagem e o estilo, muito contemporâneos, que distinguem o relato. 
Sara Reis da Silva, professora no Instituto de Educação da Universidade do Minho e jurada do Prémio Literário Maria Rosa Colaço 2018


As livrarias hão-de arrumar o volume em formato quase de bolso e cantos arredondados na secção infanto-juvenil, como quase sempre acontece aos livros que têm adolescentes como personagens. Faz sentido que assim seja, (...) mas seria justo que não ficasse encerrado numa qualquer gaveta etária. Afinal, os leitores adultos também já tiveram dezassete anos e aquilo que neste livro se enuncia é matéria intemporal, memória e invenção, medo e descoberta, aquela mesma matéria de que continuamos a ser feitos mesmo que muitas décadas tenham passado sobre o impacto desses primeiros abalos da alma.
Sara Figueiredo Costa, Parágrafo, 31/5/2019

---


1ª Edição: Março 2019

244 páginas · 150 x 215 mm · ISBN: 9789898145932