O nosso site funciona plenamente sem JavaScript mas fica muito mais bonito se o ativar.

Olhe, por favor, não viu uma luzinha a piscar? / Corre, coelhinho, corre!

Bernardo P. Carvalho

Um livro inesperado onde 2 histórias correm em direções diferentes: de um lado, um pirilampo à procura de uma luzinha; do outro, um coelho fugitivo.
Um verdadeiro número de ilusionismo, para leitores atentos e ativos!

Não é a primeira vez que Bernardo Carvalho explora a ideia de duas histórias partilharem o mesmo espaço. Já tinha acontecido no livro “As Duas Estradas”, onde duas viagens, cada uma representada por uma cor, se sobrepõem nas páginas em direções opostas. Nesse caso, havia texto e pedia-se ao leitor que virasse o livro ao contrário; neste novo livro, o desafio é outro e tornou-se uma espécie de número de malabarismo para o próprio autor...

Aqui contam-se duas histórias, lendo-se a primeira da esquerda para a direita (como é habitual) e a segunda da direita para a esquerda (como é menos habitual). Não há texto, não há duas camadas de ilustração. O ilusionismo de que falávamos vem daí: com as mesmas imagens, e recorrendo apenas à inversão do sentido da leitura, surgem duas linhas narrativas distintas. Confusos?
É simples: de um lado acompanhamos a aventura de um pirilampo à procura de uma luzinha; do outro, um coelho fugitivo, correndo desalmadamente. 
Mas... e no caso de se perder (o pobre leitor)? O que fazer?
Aquilo que fazem todos os leitores, com todos os livros, em todos os lugares: folhear o livro para trás e para a frente, procurar ligações e sentidos entre as páginas. Fazer o seu papel: decifrar, ler, construir o que falta... e divertir-se muito pelo caminho.

– Aconselhado por Plano Nacional de Leitura

–  
Selecionado Ilustrarte 2014 
– Bienal de Ilustração para a Infância


Às vezes, as histórias contam-se sem palavras, sabemo-lo bem. E o ilustrador Bernardo Carvalho já nos habituou a isso, com os livros Um dia na Praia, Trocoscópio ou Praia-mar (...). Mas desta vez a surpresa é maior e, com as mesmas ilustrações, conta-nos duas histórias. (...) Pelo meio, há uma floresta, com outros animais para descobrir, e também uma cidade cheia de casas, de carros, de pessoas e de muita confusão. Palavras para quê, quando as aguarelas de Bernardo Carvalho fazem isto tudo?!
Gabriela Lourenço, Revista Visão, Julho 2013

Se este livro fosse um filme, e ainda por cima candidato aos Óscares, a nossa grande dificuldade seria decididir quem é o ator principal e quem é o secundário. O pirilampo (que corre páginas fora da esquerda para a direita) ou o coelho branco (que fige desarvorado da direita para a esquerda)? Confuso? É simples. Com aguarelas que apetecem trincar, de tal forma são frescas e vivas, Bernardo Carvalho conta duas histórias num livro só.
Ana Kotowikz, Liv, Jornal i, Julho 2013

(...) Bernardo Carvalho, criador de histórias e ilustrador, gosta de trocar as voltas aos leitores, obrigando-os a tornarem-se também eles contadores de histórias privilegiados.(...) Com o fascínio da aguarela e desenhos carregados com imagens de infância, Bernardo Carvalho coloca um ponto final na preguiça do leitor e, sobretudo, incita a que o contador de histórias que vive em cada um de nós saia cá para fora. Os mais pequenos irão agradecer.
Pedro Miguel Silva, Ruadebaixo.com

32 páginas · 220 x 260 mm · ISBN: 9789898145543